Translate

segunda-feira, 26 de março de 2012

Amor

Amor,
Quando sentimos o frio na boca do estomago,
Quando trememos ao ouvir o barulho das chaves no portão.
Quando tomamos café no mesmo copo e comemos no mesmo prato e achamos isso o máximo,
Quando você atende o telefone distraída e ouve do outro lado aquela voz suavemente dizendo....Alô!
Desliga você não desliga você primeiro....
Só liguei para dizer boa noite,
Amor é quando você pensa na pessoa e sorri, sente vontade de dar saltos como bailarina,
Amor é Ter seu sorriso na mente, seu toque na ponta dos dedos, e seu sorriso de canto!
Amor é quando os olhos diz o que o coração sente...
é a musica que jamais se esquece, é o vento que acaricia, é o sol que aquece!
Amor é você e eu....
Amor é....quando sentimos que estamos nos desprendendo de tudo e nos entregamos apenas a ele...simplesmente porque ele existe....
Amor é a Vida Vivida.....Amor é simplesmente Ter em pensamentos mesmo que Eternos e silenciosos....
A Doce Lembrança do que é Amar....


Regiane Molnar.

terça-feira, 13 de março de 2012

Bom Dia!

Desde que venho buscando ser como era entendi que: Os Momentos que passamos de ansiedades e murmurações não são lembrados. Pensamos no agora, nas Alegrias recolhidas ao por do sol... pensamos apenas que possamos dizer: Recomeço de novo! (Regiane Molnar)

Restauração de Imagem



Meu Canto!

terça-feira, 6 de março de 2012

Soja Alimento que Cura

Proteína de soja contra doenças renais
Os rins são compostos por minifiltros que separam as substâncias químicas indesejadas do sangue e as secretam na urina. A alimentação pode impactar a atividade e a saúde desses orgãos. Por exemplo, nas pessoas saudáveis, uma dieta rica em proteína pode acelerar a filtragem renal, o que é sinal de que os rins estão fazendo esforço extra e que se está exigindo demais deles. Com o passar do tempo, isso pode causar dano àqueles suscetíveis a doenças renais. Nas pessoas que já têm problemas nos rins, uma dieta rica em proteína pode ter um efeito oposto, mas, ainda assim, prejudicial: desacelerar a filtragem renal, um sinal de que os orgãos estão enfraquecendo. Por esse motivo, frequentemente aconselha-se a opção por uma dieta pobre em proteína. Acredita-se que o tipo de proteína consumida é tão importante quanto sua quantidade. A proteína de soja não afeta os rins do mesmo modo que a animal. Quando os pacientes ingerem proteína de soja em vez de proteína animal (sem alterar a quantidade total de proteína consumida), sua função renal melhora. Por esse motivo, alguns pesquisadores sugeriram que se substituísse um pouco de proteína animal por proteína de soja na dieta. Essa é uma boa notícia para os pacientes, porque experimentar alimentos à base de soja pode ser muito mais fácil do que cortar drasticamente toda a ingestão de proteína. Outra vantagem para os pacientes de doenças renais reside nos efeitos da soja sobre os níveis e a oxidação do colesterol. Frequentemente, os pacientes de doença renal têm níveis elevados de colesterol sanguíneo e correm um risco maior de doenças cardíacas. Esse quadro pode prejudicar ainda mais os rins. Ao auxiliar na redução e na prevenção da oxidação do colesterol, a soja ajuda a preservar a função renal e a diminuir o risco de doenças cardíacas. Fonte: Livro Culinária da Soja No Oriente, desde sempre, a soja tem sido indicada como remédio específico para as funções do coração, fígado, rins e pulmões. Também lhe é atribuída efeito purificador e eliminador das toxinas do orgnismo. As pesquisas médicas comfirmam: a dieta rica em fibras e com baixos teores de gordura saturada, aliada a exercícios físicos e a um estilo de vida saudável, auxilia no controle da obesidade e protege contra doenças cardiovasculares, câncer, osteoporose e diabetes. E é aqui que entra a soja, tão abundante na produção de alimentos no país. A soja é recomendada para evitar e combater: anemia; colesterol; arteriosclerose; diabetes; doenças nervosas; de pele; dos rins; infecções e tumores; fraqueza e esgotamento; reumatismo; artrite; gota; ácido úrico; prisão de ventre ( o azeite ); problemas cardíacos; problemas do estômago, do fígado, intestinais; e pressão alta. ALERGIA - para pessoas que têm alergia ao leite animal, o leite de soja o substituí. ACNE – compostos presentes na soja aceleram a cicatrização da pele. CÉLULAS NERVOSAS E MEMÓRIA - a lecitina de soja auxilia na manutenção do funcionamento das células nervosas, beneficiando a memória. COLESTEROL - o consumo diário de 60 gramas de proteína de soja ajuda a abaixar o nível de colesterol LDL. As fibras dos grãos da soja têm a capacidade de captar partículas maiores de gordura, fazendo com que não sejam absorvidas pelo corpo. CRESCIMENTO - a soja ajuda a formar ossos, músculos e dentes. Contudo, há estudos que indicam que não deve ser consumida durante a gravidez e a amamentação, pois pode acarretar mudanças sutis no desenvolvimento infantil, como alterações em atributos neurocomportamentais, em funções imunológicas e nos níveis de hormônios sexuais. DIABETES - as fibras da soja exercem importante papel na adequação dos níveis de glicose no sangue, regulando sua absorção e auxiliando no controle do diabetes. FUNCIONAMENTO INTESTINAL - a soja possui alto teor de fibras, favorecendo o bom funcionamento intestinal. MENOPAUSA – as isoflavonas ( fitoestrógenos ) contidas na soja atuam diretamente no sistema hormonal, funcionando como repositoras hormonais naturais ao reequilibrar os níveis de estrogênio em mulheres na fase do climatério, reduzindo os sintomas da menopausa. OSTEOPOROSE – as isoflavonas aumentam a reabsorção óssea de cálcio. Para tanto, o consumo diário de 40 gramas de soja desacelera o avanço da osteoporose e aumenta a densidade óssea. PREVENÇÃO DO CÂNCER - os grãos de soja contêm um composto chamado genisteína, que possui ação estrógena, atuando na prevenção do câncer de mama, útero, cólon, estômago, pulmão e reto. Estão sendo feitos estudos por pesquisadores do Centro de Câncer Davis, da Universidade da Califórnia, EUA, sobre o efeito do extrato de soja no tratamento do câncer de prostata. TPM – o consumo de soja diminui a tensão pré-menstrual. TUMORES NA PELE - conforme estudos feitos em camundongos, a incidência de câncer de pele diminuiu com a aplicação da lunasina, uma proteína da soja. Importante: não esquecer de que as informações aqui encontradas são métodos coadjuvantes e preventivos, e não substituem o tratamento médico. Fonte: Livro Soja

domingo, 4 de março de 2012

Suricate

O suricate, também chamado de suricato ou suricata (Suricata suricatta) é um pequeno mamífero da família Herpestidae, nativo do deserto do Kalahari. Estes animais têm cerca de meio metro de comprimento, em média 1 kg de peso, e pelagem acastanhada. Os suricates alimentam-se de pequenos artrópodes, principalmente escaravelhos e aranhas. Têm garras afiadas nas patas, que lhes permitem escavar a superfície do chão e tem dentes afiados para penetrar nas carapaças quitinosas das suas presas. Outra característica distinta é a sua capacidade de se elevarem nas patas traseiras, utilizando a cauda como terceiro apoio. Estes animais são exclusivamente diurnos e vivem em colónias de até 40 indivíduos, que constroem um complicado sistema de túneis no subsolo, onde permanecem durante a noite. Dentro do grupo, os animais revezam-se nas tarefas de vigia e proteção das crias da comunidade. O sistema social dos suricates é complexo e inclui uma linguagem própria que parece indicar, por exemplo, o tipo de um predador que se aproxima. Estudos mostram que os suricates são capazes de ensinar ativamente suas crias a caçarem, um método semelhante à capacidade humana de ensinar.

sábado, 3 de março de 2012

CORUJAS

Coruja buraqueira O Brasil é o país de maior biodiversidade do mundo, e um dos maiores em quantidade de espécies de aves, de maneira que nossa avifauna é muito rica compondo-se de muitas famílias com uma enorme quantidade de espécies. Quanto as corujas, possuímos 34 formas entre espécies e subespécies. Nome Vulgar: Coruja Buraqueira Nome Científico: Athene cunicularia Família: Strigidae Peso:100 a 200 g Envergadura de 50-61cm Tamanho: 20 a 30 cmVivem nos Campos e Cerrados de todo o Brasil. A coruja-buraqueira possui este nome pois vive em buracos cavados no solo. Embora seja capaz de cavar sua própria cova, vivem nos buracos abandonados de tatus, cachorro de pradaria e tocas de outros animais. De porte pequeno, a Coruja-buraqueira possui uma cabeça redonda, tem sobrancelhas brancas, olhos amarelos, e pernas longas. Ao contrário a maioria das corujas o macho é ligeiramente maior que a fêmea e as fêmeas são normalmente mais escuras que os machos. É uma ave tímida, por isso, vive em lugares sossegados. Durante o dia ela cochila em seu ninho ou toma sol nos galhos de árvores.Tem vôo suave e silencioso. Com olhos grandes e amarelos, a coruja-buraqueira tem a visão 100 vezes mais aguçada que a do homem e seus olhos estão dispostos frontalmente, como os do ser humano. Quando necessita olhar algum objeto ao seu redor gira o pescoço em um ângulo de até 270 graus, e 180 graus de cima para baixo aumentando assim o seu campo visual. Essa disposição frontal, proporciona à coruja uma visão binocular (enxerga um objeto com ambos os olhos e ao mesmo tempo), isso significa que a coruja pode ver objetos em três dimensões, ou seja, altura, largura e profundidade. Além de sua privilegiada visão, a coruja-buraqueira é dona de uma audição potentíssima, conseguindo localizar e abater sua presa com apenas este sentido. A coruja é uma ave de rapina, portanto mata para se alimentar. A tradução da palavra rapina é "roubo", o que caracteriza o fato de tais aves retirarem a vida de suas presas. O período reprodutivo da coruja-buraqueira começa nos meses de março e abril, os ninhos são feitos no solo, aproveitando antigas tocas de tatus ou simplesmente promovem a abertura de novos ninhos, num trabalho revezado entre o casal. Os ninhos são escavados com os pés e bicos, formando uma galeria horizontal de até 3 m de profundidade por 30cm-60cm de largura. Em média botam de 6 a 12 ovos, que são incubados por 28 dias pela fêmea; fica por conta do macho proteger o ninho e procurar alimento para toda a prole. Ao redor acumula estrume e se alimenta dos insetos atraídos pelo cheiro. Os cuidados da cria, enquanto ainda estão no ninho são tarefa do macho. Com 14 dias os filhotes já ficam empoleirados na saída da cova, aos 44 dias saem do ninho e com 60 dias estão caçando pequenos insetos. São extremamente protetoras dos ninhos e filhotes. A qualquer sinal de perigo, emitem um som forte e alto. Ao ouvirem o sinal de alerta dos pais, os filhotes entram no ninho rapidamente. Elas dão vôos rasantes em cima de qualquer animal ou até mesmo pessoas que invadem os seus territórios. Ficam agressivas quanto se trata de proteger os filhotes, porém são muitas vezes tranquilas quando não estão reproduzindo. Elas têm um papel muito importante para o equilíbrio natural, se alimentando de roedores, baratas, escorpiões, aranhas, pequenas cobras. Alimentam-se também de pequenos pássaros e filhotes de ninhos próximos. A maioria de sua é crepuscular, insetos na luz do dia e mamíferos pequenos na noite, caça a vôo, e ás vezes perseguem sua presa a pé. Mas caçará durante todo um período de 24 horas. À noite, a atividade é maior, pois é o período em elas fazem a maioria das caçadas. Executam cantos noturnos característicos das corujas, chamados de acasalamento, diferentes dos silvos diurnos de alerta. A coruja como a grande maioria dos animais possui território de caça. São "equipadas" com adaptações especiais que as tornam predadoras eficientes, sendo uma delas o vôo. Sempre muito silenciosa e sorrateira, isso devido às penas especiais de sua asa, muito macias e em grande quantidade, conseguem cortar o ar e planar por muito tempo sendo muito discretas e imperceptíveis às suas presas. A observação das presas se dá no alto de árvores ou em mourões de cercas nos pastos e até durante o vôo silencioso, quando fazem uma varredura na área de caça. Quando um alvo é avistado a coruja voa silenciosamente até ele, mantendo sua cabeça em linha reta ao alvo, quando então a joga para trás e empurra suas garras para frente a fim de prender seguramente sua presa. A força do impacto é violenta e certeira não dando chances à presa. Posteriormente a vítima é morta pela pressão do bico, num processo de abatimento de presas no solo. http://caliandradocerradogo.blogspot.com/search/label/coruja%20buraqueira