Translate

terça-feira, 6 de março de 2012

Soja Alimento que Cura

Proteína de soja contra doenças renais
Os rins são compostos por minifiltros que separam as substâncias químicas indesejadas do sangue e as secretam na urina. A alimentação pode impactar a atividade e a saúde desses orgãos. Por exemplo, nas pessoas saudáveis, uma dieta rica em proteína pode acelerar a filtragem renal, o que é sinal de que os rins estão fazendo esforço extra e que se está exigindo demais deles. Com o passar do tempo, isso pode causar dano àqueles suscetíveis a doenças renais. Nas pessoas que já têm problemas nos rins, uma dieta rica em proteína pode ter um efeito oposto, mas, ainda assim, prejudicial: desacelerar a filtragem renal, um sinal de que os orgãos estão enfraquecendo. Por esse motivo, frequentemente aconselha-se a opção por uma dieta pobre em proteína. Acredita-se que o tipo de proteína consumida é tão importante quanto sua quantidade. A proteína de soja não afeta os rins do mesmo modo que a animal. Quando os pacientes ingerem proteína de soja em vez de proteína animal (sem alterar a quantidade total de proteína consumida), sua função renal melhora. Por esse motivo, alguns pesquisadores sugeriram que se substituísse um pouco de proteína animal por proteína de soja na dieta. Essa é uma boa notícia para os pacientes, porque experimentar alimentos à base de soja pode ser muito mais fácil do que cortar drasticamente toda a ingestão de proteína. Outra vantagem para os pacientes de doenças renais reside nos efeitos da soja sobre os níveis e a oxidação do colesterol. Frequentemente, os pacientes de doença renal têm níveis elevados de colesterol sanguíneo e correm um risco maior de doenças cardíacas. Esse quadro pode prejudicar ainda mais os rins. Ao auxiliar na redução e na prevenção da oxidação do colesterol, a soja ajuda a preservar a função renal e a diminuir o risco de doenças cardíacas. Fonte: Livro Culinária da Soja No Oriente, desde sempre, a soja tem sido indicada como remédio específico para as funções do coração, fígado, rins e pulmões. Também lhe é atribuída efeito purificador e eliminador das toxinas do orgnismo. As pesquisas médicas comfirmam: a dieta rica em fibras e com baixos teores de gordura saturada, aliada a exercícios físicos e a um estilo de vida saudável, auxilia no controle da obesidade e protege contra doenças cardiovasculares, câncer, osteoporose e diabetes. E é aqui que entra a soja, tão abundante na produção de alimentos no país. A soja é recomendada para evitar e combater: anemia; colesterol; arteriosclerose; diabetes; doenças nervosas; de pele; dos rins; infecções e tumores; fraqueza e esgotamento; reumatismo; artrite; gota; ácido úrico; prisão de ventre ( o azeite ); problemas cardíacos; problemas do estômago, do fígado, intestinais; e pressão alta. ALERGIA - para pessoas que têm alergia ao leite animal, o leite de soja o substituí. ACNE – compostos presentes na soja aceleram a cicatrização da pele. CÉLULAS NERVOSAS E MEMÓRIA - a lecitina de soja auxilia na manutenção do funcionamento das células nervosas, beneficiando a memória. COLESTEROL - o consumo diário de 60 gramas de proteína de soja ajuda a abaixar o nível de colesterol LDL. As fibras dos grãos da soja têm a capacidade de captar partículas maiores de gordura, fazendo com que não sejam absorvidas pelo corpo. CRESCIMENTO - a soja ajuda a formar ossos, músculos e dentes. Contudo, há estudos que indicam que não deve ser consumida durante a gravidez e a amamentação, pois pode acarretar mudanças sutis no desenvolvimento infantil, como alterações em atributos neurocomportamentais, em funções imunológicas e nos níveis de hormônios sexuais. DIABETES - as fibras da soja exercem importante papel na adequação dos níveis de glicose no sangue, regulando sua absorção e auxiliando no controle do diabetes. FUNCIONAMENTO INTESTINAL - a soja possui alto teor de fibras, favorecendo o bom funcionamento intestinal. MENOPAUSA – as isoflavonas ( fitoestrógenos ) contidas na soja atuam diretamente no sistema hormonal, funcionando como repositoras hormonais naturais ao reequilibrar os níveis de estrogênio em mulheres na fase do climatério, reduzindo os sintomas da menopausa. OSTEOPOROSE – as isoflavonas aumentam a reabsorção óssea de cálcio. Para tanto, o consumo diário de 40 gramas de soja desacelera o avanço da osteoporose e aumenta a densidade óssea. PREVENÇÃO DO CÂNCER - os grãos de soja contêm um composto chamado genisteína, que possui ação estrógena, atuando na prevenção do câncer de mama, útero, cólon, estômago, pulmão e reto. Estão sendo feitos estudos por pesquisadores do Centro de Câncer Davis, da Universidade da Califórnia, EUA, sobre o efeito do extrato de soja no tratamento do câncer de prostata. TPM – o consumo de soja diminui a tensão pré-menstrual. TUMORES NA PELE - conforme estudos feitos em camundongos, a incidência de câncer de pele diminuiu com a aplicação da lunasina, uma proteína da soja. Importante: não esquecer de que as informações aqui encontradas são métodos coadjuvantes e preventivos, e não substituem o tratamento médico. Fonte: Livro Soja

Nenhum comentário: